quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Pssica - Edyr Augusto

 TNT pura, provavelmente um dos livros mais violentos da história, faz a pulp mais crazy parecer Pato Donald. Então de cara eu aviso que não é um livro pra todos os públicos, a pessoa tem que estar ciente da proposta: um mergulho num inferno chamado Estado do Pará.

O pontapé inicial é o vazamento de um sex tape da estudante Janalice, a jovem cai em desgraça e a partir daí, meu amigo, Pssica vai te dar um mata-leão e soltar só na última página. É a espiral da loucura, um tornado de personagens e karmas conectados.

Mas vamos falar aqui do que torna o livro memorável: Edyr Augusto. Se o mundo fosse justo estaria traduzido em tudo que é língua e vendendo milhões de cópias. O que propõe o Edyr é te oferecer a experiência telegráfica mais radical possível. É como se se algum editor maluco pegasse um romance de 400 páginas e fizesse um experimento, cortando absolutamente todas as partes chatas e desnecessárias (incluindo travessão e aspas), deixando apenas o mais puro e essencial para o entendimento (e fascínio, obviamente). Pssica é isso, quase 100 páginas na velocidade de um F1 e socando como o Mike Tyson. Não é só um livro, é experiência literária.

Um dos melhores que li em 2020, claro. Agora não tem desculpa, vou ter que ir atrás da obra do escritor...você aí faça o mesmo.

4,5 estrelas