terça-feira, 14 de abril de 2020

The Dirt - Neil Strauss

Poucas bandas na história podem reivindicar o pioneirismo de um movimento musical, o Motley Crue é uma delas: ponta de lança da cena hard rock de Los Angeles, conhecida pejorativamente como “hair metal”, os malucos transformaram uma improvável reciclagem de androginia e rock básico numa febre mainstream, que dominou os EUA na segunda metade dos 80’s.

The Dirt é uma autobiografia oral onde o escritor/jornalista Neil Strauss (Rolling Stone, New York Times) organiza centenas de horas de entrevistas, textos e depoimentos, que traçam os 20 primeiros anos da banda. O grosso do livro é obviamente os depoimentos dos enfants terribles Nikki, Vince, Tommy e Mick: 4 losers disfuncionais que juntos produziram uma química musical capaz de seduzir milhões.

Bem, se você tem alguma expectativa quanto ao caráter do quarteto, pode desencanar: os caras não passam de debilóides que tinham como objetivo principal cometer todas as barbaridades proporcionadas pelo circo rock ‘n roll...e conseguiram: temos aqui toneladas de sexo, drogas, morte e destruição, num nível que poucas bandas atingiram. Eu já esperava muito e mesmo assim me impressionou.

A escolha pelo estilo oral oferece momentos desconcertantes pela crueza dos depoimentos (a filha de Vince, o casamento de Tommy, etc), porém apresenta lacunas na trajetória que facilmente seriam suprimidas por uma biografia convencional. De qualquer forma, o escritor traz um trabalho louvável de organização do vasto material.

A adaptação da Netflix, acredite, é bilhões de vezes mais comportada do que temos aqui. Então se você curte os caras, ou pelo menos se interessa pelos bastidores do rock, este é o seu livro.

4,5 estrelas